domingo, 25 de março de 2012

Desavergonhar



Sou sim, sem-vergonha.


Por não sentir vergonha de dizer que te amo;
Dizer 'eu te amo';
Falar assim, sem rodeios, dúvidas e tantas malícias.

Por saber que 'eu te amo' se fala em silêncio e em barulho,
Por saber que é audível quando se quer;
Também quando não.

Por ser egoísta e só pensar em ti.

Sou sim, sem-vergonha,

Sem-vergonha por não sentir vergonha, medo;
Outros sentimentos retrógrados, também;
Esses que afastam as pessoas, 
Separaram-nas, maculam-nas.

Por apenas sentir à ti, aqui comigo.
E tu me abraças e me beijas, mesmo de longe.

E me vem essa paz multicolor que tu carregas e me jogas;
Perde-se em mim;
Faz-me mais sem-vergonha;
Mais seguro a arriscar-me contigo.

E a gente se entende;
Sente,
Vence.

Vira parte de poesia.

Assim, juntos.
Sem-vergonha.

1 opiniões:

Laís Correia disse...

Gostei demais da sua escrita. Beijo ;*

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates