terça-feira, 20 de setembro de 2011

Breve Encontro e Desencontro

Poeta do mundo,
Do mundo o que sabia,
Sabia menos ainda.

Caído, com seu coração frio
No frio da dúvida e dos outros,
E outros novos arranhões ganhara.

Pobre bobo,
Em bobo e previsível conto de amores se perdera
E perdera mais que a ele mesmo,
Mesmo sabendo de começos e meios.

Mero sorriso desfeito num segundo,
Segundo carma que lhe abatera.

E o poeta do mundo,
Num mundo conhecido errara,
Rara a chance que tivera.

E no nada,
Nada fez.

Poeta do mundo,
No mundo, seu mundo, lamentou.
E o mundo, mundo dela, desencontrou.

E daquele conto,
Contou, talvez muito ou quase nada.

Começos e meios em um.
Um;
Dois beijos.

Calou-se depois.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates