sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Indiferente


Foi-se, o coração.

Assim,
Sem adeus,
Remorso ou dor.

Sem abraços,
Ou lamentos.

Calado, apenas,
Por não mais me suportar;

Consigo, foram os amores,
Aqueles de tempos atrás
E os que haveriam de vir.

Coração que se foi,
Foi com o amor,
E saudades que não sinto.

E essa quietude que restou,
Paz, talvez.

Riso sem dor;
Guerra sem heróis.

E agora, corpo já morto,

Vago assim, sem pranto.

Mundo sem cor.

Sem alegria;
Sem tristeza.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates