sábado, 27 de agosto de 2011

Alívio ou Morte Anunciada


Foste,
E em mim ficaram teus lábios,
Não, porém, de beijos,
De alívio, então.

Meu adeus,
Fim d'um amor reticente,
Sofrimento contínuo,
Por vezes injusto, até.

Foste,
Também o pranto, a raiva, a decepção
E os parênteses d'um amor repentino;
Pilares enfraquecidos,

Arruinados desde o princípio.

E o sentimento que não se fora d'uma vez,
Cansou-se aos poucos:
Cabaleante como bebê;
Cabaleante como idoso.

Morte já anunciada.

Foste,
Como quis que fosse:
Sem mais ou menos;
Sem exaustivas dores.

E tua ausência,
Substituída por mim mesmo,
Sem pressa, cores ou saudades.

Apenas prudência.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates