sábado, 15 de janeiro de 2011

Teoria dos Opostos


Diferenças tantas e um previsível desgaste.

Nossa história escrita em meio à dúvida,
Transformando o mais-que-perfeito em imperfeito,
Obscurecendo o caminho percorrido
E a vir.

Amor de meio tempo alternado em eternidade,
Calcando a ilusão de Shakespeare,
Ou a dor de Álvares.

Nascidos de uma antítese
Por ela, vivos.
Dela havemos de morrer.

Nós, assim,
De cores, medos e certezas,
Deitados em perpétua oposição,
Amando-se, por surpresa.

Briga-se,
Sofre-se,
E se sorri.

Um beijo para resumir o prazer.

E uma nova chance para fins melhores.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates