quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Espera


Ele caminhava.
Pouco, mas caminhava.

Mero desejo ou mera coincidência,
Procurando algo que lhe acalmasse a alma,
Ou, pelo menos, que resultasse num sorriso a mais.

Ele esperava.
Ansioso, mas esperava.

Sem tanta expectativa,
Mas sonhando em algo maior do que já vivera,
Ou, pelo menos, numa satisfação menos tímida que esta.

E vivia...
Sem tanta calma ou remorsos,
Acreditando no inacreditável,
Tratando com eufemismo, suas dores.

Caminhava e esperava
Pois havia um outro alguém que certamente fazia aquilo;
Pois a vida não podia ser somente aquilo;

Ou porque era aquele sonho que desejava ter.

Dias melhores viriam.
De um modo ou de outro.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates