segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Crônico Distanciamento


Realmente, não sei.

Nosso cheiro,
Nossas mãos,
Nossos rostos e corpos.

Juntos e separados.
Distante dos padrões aos quais me acostumei,
Diferente das vidas que tive.

Triste, talvez.

Ou tristeza não fosse a palavra do momento.
Quem sabe, só uma modinha casual.

Longe que fomos,
Longe a ponto de não mais nos sentirmos,
Não mais nos desejarmos,
(ou, até, não mais nos querermos)
Ainda que frente a frente.

Dor que existe.
Dor que de tanto doer, não dói.

Amor, parece-me.

Ou amor não fosse a palavra do momento.
Quem sabe só uma modinha casual.

(Seguem meus lábios procurando os seus,
Sem sucesso, porém.)

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates