terça-feira, 1 de junho de 2010

O Livro da Vida - 02 Tensão

Fato nº 02 - Orgulho

Existem n fatores que podem definir o sucesso ou não de uma relação. Contudo, o grau de importância que cada casal dá a estes fatos é extremamente subjetivo. Alguns podem brigar todos os dias e, mesmo assim, manter-se juntos por anos e anos, outros casais, no entando, nem chegam a discutir, e terminam em poucos meses.
O que pode ser nocivo a um namoro pode não ser a outro. Assim, ciúmes, falta de carinho, brigas, xingamentos, além de tantas outras coisas que poderiam destruir a vida de um casal, às vezes, podem ter efeito contrário.
Sim, de fato é bem estranho admitir uma afirmação dessas, mas se olharmos em volta, veremos a grande quantidade de relacionamentos com estes tipo de 'defeitos' e que, ainda sim, estão fortes e duradouros.
Entretanto, algumas situações requerem mudanças drásticas, pois por mais que se suporte alguns desses defeitos durante certo tempo, existe um ponto limite que pode definir tudo.
Pode-se dizer que o orgulho é um desses defeitos.
O fato de não correr atrás da pessoa que se gosta pode até funcionar no começo da relação, mas depois de um certo tempo, termina por fragmentar os sentimentos de uma parte ou outra.
Dar o braço a torcer em alguns casos, pode não ser sinal de fraqueza ou submissão.


-----------------------------------------------------------------------

Eles haviam tido um tarde ótima.
Tudo parecia tão perfeito que nada seria capaz de destruir aquele bom momento.
Mas não era bem assim. Tinha que haver um motivo para aquilo se tornar tenso.
Divergiram durante muito tempo, por mais que parecesse por um motivo pífio.
Ele se entristecia ouvindo as palavras que vinham da boca dela. Sabia que o amava, contudo não conseguia entender o porquê dela ser tão teimosa e tão orgulhosa.
Após duros minutos de silêncio, ele resolveu partir. Não agüentava mais aquele clima pesado que se formara.
Abraçou-a, ainda que a cara dela permitisse entender que ela não queria o abraço. Baixou a cabeça e virou-se.
'Ei... Espera!', ouviu, quando já havia descido três degrais.
Ao voltar, foi surpreendido com um beijo acompanhado de uma suave 'boa noite'.
Ele não entendia tudo aquilo. Não entendia até quando ia agüentar.
Olhou-a nos olhos, deu um sorriso magro e saiu.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates