terça-feira, 25 de maio de 2010

Falando de Amor


Qnd ali sentei,
Ñ quis q fosse soh mais um devaneio tolo,
Um bem provisório.

Meu coração quis falar,
Remeter ao tempo em q éramos nós
Tão próximos e longe do mundo.

Quisera eu
Perceber q no amor (como no ódio) há d haver rancor.

Qnd ali olhei em teus olhos,
Ñ quis notar o mar d dúvidas em q afogávamos,
Dia e noite.

Ver q as lágrimas caíam,
E saber q elas sempre secariam
Ateh q a vida a seu rosto.

Quisera eu
Perceber q no amor (como na tristeza) há d haver dor.

Qnd ali segurei tuas mãos,
Ñ quis pensar no quão frias se tornaram
E para sempre, soltá-las.

Sentir teu calor indo d encontro ao meu,
Proclamando o desejo como parte d nós msms.

Quisera eu
Perceber q no amor,
No ódio,
Na guerra,
Ou neste lugar em q estamos,

Há d haver alguma coisa.

Algo q nos liga,
Nos faz querer a nós msms.

Bem ou mal.
Nós, juntos.

Quisera eu
Perceber q talvez tudo ñ passe d um sonho
Ainda ñ sepultado pelo tempo e pela lógica.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates