terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Num dado momento


Através d teus olhos,
Vejo-me.

Eu,
Incerto qnt ao futuro;
Mendigando porções d qlqr coisa
Q possa me confortar,

E me tirar dessa profunda e fria desilusão.

D várias formas,
Jah tentei entender-t.
Sem sucesso.

Mas,
Serás tu quem precisas ser entendida ?
Ou seria eu ?

Sob devaneios,
Desperto tds as manhãs.
Sob devaneios,
Repouso, noite após noite.

E um dia, quem sab,
Possamos viver sem desviar os olhos
Um do outro.

Chegados
Ao equilíbrio perfeito.

Chegados, enfim,
A felicidade

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates