quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Cenário ou Espetáculo do Confuso Amanhã


Um dia,
Cansarei-me.

Esse teatro todo;
Essas cenas lembrando novelas mexicanas;
Esse drama confuso, ao qual vc faz parte...

Máscaras cobrindo nossas vidas.

Meu limite chega acompanhado d indiferença
(Algo q eu, ateh então, desconhecia),
S/ alarde,
S/ dor,

Seca.

Antes,
Esperava sua atenção,
Como d um público fiel à seu espetáculo,
Mas profetizo tragédias gregas,
Culminadas no seu pranto.

Pouco,
Qse tão pouco qnt seu interesse;
Tão pouco qnt meu futuro desejo por ti...

Torço por um amanhã d aplausos...

Torço por um
Felizes para sempre...

Virada


D fato,
Um bom ano...

Amigos q fiz,
Inimigos q desfiz,
Porres,
Risos,
Quedas,
Ascensões,

E aquele olhar azul enigmático a me seguir,
C/ uma calma q às vezes me irrita...

Num bom ano,
Q faço ?

Cobro-me,
Transformo-me
E olho para todos com uma alegriazinha jovial e implícita.

Completo ?

Ñ.
Ainda há muito a se fazer.
Muito a se falar
E a escutar tb.

Passa o tempo.

E eu a esperar por mínimas ou medianas mudanças...

[Um lamento discreto, ao fundo.]

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Chuva q cai

Ñ sinto nd.

Alegria,
Tristeza,
Nem dor
Ou amor.

Sento-me naquele sofá laranja envelhecido,
(Qse tão velho qnt os sentimentos meu coração)
Ficando, bobamente,
A pensar...

Imaginar kd fim d kd gotícula d chuva caindo em seu jardim;
Ou quem sab alguém após encontro c/ a morte.

Ñ.
Ñ a minha morte,
Ñ vejo-a c/ o msm medo dos outros.

Vejo-a como uma qlqr,
Daquelas q passam ao nosso lado sem q percebamos;
E se perde no 'tanto faz' do destino.

O fim d nossas vidas nem sempre vem c/ flores brancas.
Às vezes, basta desistirmos d senti-la [a vida].

Pára, a chuva.
E talvez eu jah tenha me entregado...
Esperando apenas alguém
Q d um último adeus àquilo q eu chamava d 'viver'.

Nem alegria,
Nem tristeza,
Nem dor
Ou amor.

- Jah eh tarde, diz uma voz.

Sereno,
Despeço-me.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Sobre dúvidas, crueldades e benevolência


Percorrendo kd milímetro d minha mente,
Nefastas palavras me fazem pensar...

Pensar em como seria a vida c/ meus 'sim' convertidos em 'não'
E meus 'não', em 'sim';
Pensar nos pqs d kd lágrima,
Ou d kd sorriso dado
(Ou ñ).

Questiono-me.
Traduzo-me.
Vejo qnt compaixão ainda me resta
(se eh q um dia ela se fez presente em mim).

Busco dúvidas.
Respondo-as c/ o óbvio.

Depois,
Experimento a dor,
Para, logo em seguida,

Repassá-la d modo mais intenso àquele q me machucou.

Meu pranto d hj,
Seu desespero d amanhã.

Ñ sou mau.
Ñ sou bom.

Sou apenas

[ Humano.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Reflexão

Todos nos lembramos das historinhas de nossa infância: o sapato serve na Cinderela, o sapo vira um príncipe, a Bela Adormecida é acordada por um beijo... Era uma vez... e eles viveram felizes para sempre. Contos de Fadas - é do que sonhos são feitos. O problema é que contos de fadas não se tornam realidade. São as outras histórias, as que começam com noites sombrias e tempestuosas, que terminam de formas indescritíveis... Sempre são os pesadelos que parecem se tornar realidade... A pessoa que inventou a frase "felizes para sempre" deveria tomar uma surra daquelas.
[...]
Era uma vez... Felizes para sempre... As histórias que contamos são feitas de sonho. Contos de fadas não se tornam realidade. A realidade é muito mais agitada... muito mais turva... muito mais assustadora. Realidade - ela é tão mais interessante do que viver feliz para sempre.

Citação da Série "Greys Anatomy"

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Volume mínimo


Lágrimas secam c/ o calor d meu rosto.

Sigo,
Pouco atordoado,
Implorando à minha velha e desgastada racionalidade.

Fantasmas d um passado breve
Param para segurar minha mão,
Cumprimentar-me,
Teimando em me tentar.

- O pecado sussurrando em meu ouvido.

Ñ ouço.

Fecho-me.
Escondo-me.
Perco um sentido mais
(Como outros q jah se foram).

Adiante,
C/ sua face pouco atrativa, porém verdadeira,
A recompensa me espera.

Tudo muito relativo...
E claro...

Nós criamos nossos fantasmas,
Nossas recompensas.

E o nosso medo...

Ele também.

(Fecho os olhos e escuto a voz q fala d meu destino)

P/ refletir # 23

"(...) Deixa isso passar, e quando passar
Vou estar aqui te esperando
Pra te receber
E sorrir feliz dessa vez
Que esse amor é tanto

Quem vai te abraçar?
Me fala quem vai te socorrer
Quando chover e acabar a luz
Pra quem você vai correr?
E quem vai me levar
Entre as estrelas, quem vai fazer
Toda manhã me cobrir de luz?
Quem, além de você?"


Fragmento da música Quem, além de você, do Leoni ~~> http://www.youtube.com/watch?v=FpCO9WzRffo&feature=player_embedded

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Num dado momento


Através d teus olhos,
Vejo-me.

Eu,
Incerto qnt ao futuro;
Mendigando porções d qlqr coisa
Q possa me confortar,

E me tirar dessa profunda e fria desilusão.

D várias formas,
Jah tentei entender-t.
Sem sucesso.

Mas,
Serás tu quem precisas ser entendida ?
Ou seria eu ?

Sob devaneios,
Desperto tds as manhãs.
Sob devaneios,
Repouso, noite após noite.

E um dia, quem sab,
Possamos viver sem desviar os olhos
Um do outro.

Chegados
Ao equilíbrio perfeito.

Chegados, enfim,
A felicidade

 
Free Blogger Templates