sábado, 14 de março de 2009

[Im]Possível ?!


Talvez seja assim msm q nossa vida deva seguir: Complicada, porém perfeita (fazendo alusão à música).
Talvez nosso amor tenha sido gerado p/ ser infinito, nos poucos minutos d intimidade q temos.
Essa semana ñ foi como as outras anteriores. Ela foi a + feliz e, ao msm tempo, + triste desde o dia em q nos conhecemos.
Foram momentos em q experimentei os dois lados: a euforia e dor, alternado-se, p/ ver qual conseguia se apossar d minha mente.
A vida tem disso, neh ?!
O amor tem disso.
Durante algum tempo, ñ nego q tive dúvidas qnt ao seu sentimento p/ mim. Td era tão confuso, tão incerto. Entretanto, desde o início do ano, sobretudo o início desse mês, finalmente tive a certeza q ñ era soh eu q, muitas vezes, me controlava p/ ñ abraça-la, beija-la, senti-la. Ela fazia uma força muitas vezes maior q a minha.
Cada olhar q trocávamos era como um pedido, uma súplica, um desejo.
Queríamos um ao outro.
Queríamos, mas ñ podíamos.
A distância entre nós parece muito pequena, mas eh como se houvesse um abismo nos impedindo d exprimir td q temos engasgado na garganta.
Nosso amor lembra, em alguns pontos, o d Romeu & Julieta. Shakespeare talvez tenha sido como nós: tenha tido um grande amor do qual ñ pôde usufruir da maneira q queria.
Sinceramente, ñ sei ateh qnd nossa situação se manterá dessa forma.
Ñ estou triste.
Isso tem outro nome.
Isso se chama Amor.

0 opiniões:

Postar um comentário

 
Free Blogger Templates